andré.santana [webdesign blog]

Archive for the ‘Usabilidade’ Category

Post muito legal, vale a pena ver. Via Stuff That Happens

Ouch!

simplicity

Clique na imagem para ampliar

=)

Comentem…

Anúncios

Para o design ter sucesso, ele deve primeiro atender as necessidades básicas das pessoas – antes de tentar satisfazer necessidades de níveis mais altos.

E quais seriam estas necessidades? Para chegar aos cinco elementos chave na hierarquia das necessidades no design, vamos seguir o padrão de Maslow:

maslow

Necessidades humanas segundo Maslow

1. Fisiológicas
2. Segurança
3. Relacionamento
4. Estima/Status
5. Realização pessoal

Necessidades do Design

1. Funcionalidade
2. Confiabilidade
3. Usabilidade
4. Proficiência
5. Criatividade

Funcionalidade

Fisiologia: significa atender os requisitos mais básicos do design. Exemplo: um aparelho de DVD deve, pelo menos, ser capaz de gravar e reproduzir vídeos.

Valor agregado pelo design é muito baixo.

Estabilidade

Segurança: significa estabelecer uma performance estável e consistente. Exemplo: um aparelho de DVD deve reproduzir vídeos com qualidade e o mecanismo (software/hardware) não deve apresentar defeitos.

Valor agregado pelo design é baixo.

Usabilidade

Relacionamento: significa disponibilizar uma interface simples, fácil de ser usada e que perdoe erros do usuário. Exemplo: programar um aparelho de DVD para começar a gravar um filme a uma determinada hora deve ser fácil e o sistema deve ser tolerante em relação a erros cometidos pelo usuário.

Valor agregado pelo design é moderado.

Proficiência

Estima: significa disponibilizar recursos para melhorar o modo como os usuários fazem as coisas. Exemplo: um aparelho de DVD que consiga pesquisar e gravar programas baseado em palavras chave escolhidas pelo usuário.

Valor agregado pelo design é alto.

Criatividade

Realização pessoal: é o nível na hierarquia onde todas as necessidades foram atendidas e onde as pessoas começam a interagir com o design de formas inovadoras. O design passa a ser usado para criar e explorar áreas que estendam a experiência do usuário.

Valor agregado pelo design é muito alto.

De acordo com a teoria de Maslow, as necessidades fisiológicas, as necessidades de segurança e algumas das necessidades sociais (funcionalidade, confiabilidade e usabilidade se aplicado ao design) são fatores de desmotivação. A teoria diz que a satisfação destas necessidades é básica; já a ausência da satisfação destas necessidades não motiva ninguém, pelo contrário, desmotiva.

Já as necessidades sociais, as necessidades de “status” e de estima e as necessidades de auto-realização são fortes fatores motivacionais. Ou seja, se não forem atendidas, as pessoas procuram fazer com que sejam satisfeitas; as pessoas são motivadas a alcançar a satisfação destas necessidades.

Quando se fala em design agregando valor a algum produto, serviço ou interface é preciso ter a clareza que ele terá o efeito desejado quando passar a atender os níveis mais altos da pirâmide (proficiência e criatividade).

Mas até chegar a estes níveis, os primeiros devem necessariamente ser atendidos.

por Marcos Nähr

desenvolvendo-web

Existe mais ou menos um consenso entre os profissionais sobre o que observar ao desenvolver um bom website. Este artigo procura reunir estes pontos, com base em uma livre interpretação de alguns protocolos e padrões da W3C.

Nosso foco está nos sites de objetivos comerciais, cada vez mais o destino de compradores e especificadores nas compras de produtos entre empresas.

Sabemos que o processo de compra pode começar de diversas formas (através de revistas técnicas, sites de buscas, portais verticais ou indicação de colegas), mas sempre o comprador acessa o website do fornecedor antes de decidir a compra. É nesta hora que a qualidade do website e das informações que oferece se tornam um fator primordial em apoio à decisão de compra.

Um bom website deve oferecer uma navegação fácil, intuitiva e rápida em função da informação que o comprador procura.

Definir objetivos claros

Antes de qualquer ação, é preciso saber o que se espera do site que será desenvolvido. Sites sem objetivos claros são confusos, dispersos e dificultam o usuário a atingir suas necessidades. Para desenvolver um novo website ou reformular um já existente é necessário responder as seguintes perguntas:

  • qual a finalidade do website?;
  • qual o público-alvo?;
  • para quê o público-alvo vai utilizar o website?;
  • quais os principais concorrentes da empresa?;
  • quais as palavras-chaves que são ou devem ser utilizadas para que compradores encontrem o website em mecanismos de buscas?

Com base nas respostas a essas perguntas é possível criar um roteiro para servir de guia durante a fase de desenvolvimento, assegurando que o mercado comprador seja atendido.

Orientar e conduzir o usuário

Durante a navegação o usuário pode se perder nas páginas. Para minimizar essa dispersão, o website deve sempre informar o usuário em que página ele se encontra, como chegou até ali e quais são suas opções de saída.

Isso pode ser feito através de algumas recomendações:

  • a página principal deve informar ao usuário onde ele está e o que o website oferece;
  • em todas as páginas oferecer um link de retorno para a página principal;
  • durante a navegação, as páginas devem informar ao usuário onde ele está, de que página veio e para aonde ele pode seguir;
  • é imprescindível existir um mapa do site para que o usuário possa se localizar em qualquer momento da navegação;

Com relação aos links:

  • devem ser auto-explicativos;
  • evitar o uso de expressões como “clique aqui”;
  • marcar como link o texto (nome da empresa, título da página, assunto etc.) e não o endereço URL;
  • apontar exatamente para o conteúdo descrito no link;
  • em caso de conteúdo fechado, para usuários registrados, indicar graficamente ao lado do link (ex.: ícone de cadeado ou chave);
  • se possuir lista de links úteis, inserir comentários sobre cada link disponível;

Usar o atributo ALT da HTML (HyperText Markup Language), com o significado das imagens para que o texto apareça enquanto estiver sendo feito o download da figura ou quando o usuário optar por suprimir figuras na configuração do seu navegador web.
Continue lendo »

wowen-using-laptop

Você conhece aquele velho chavão do mundo dos negócios: contra fatos, não há argumentos. E para você, absorto em estratégias de marketing digital, “fatos” significam números positivos, que justifiquem os investimentos em seu website. Nada mais justificável, portanto, que você reserve grande parte de suas energias e capacidade de trabalho para obter métricas realmente significativas para seu negócio, ou então preparar uma otimização de seu site para que ele sempre fique nas primeiras posições dos buscadores.

Mas, cuidado: às vezes você pode se esquecer do seu usuário, de tão ocupado que está em tornar seu website um eficaz gerador de negócios. O equilíbrio é importante nestes casos, e veja como conseguir isto com estas dicas:

Não coloque a otimização acima do marketing.

Claro que seu objetivo maior é levar a maior quantidade possível de pessoas até seu website, mas, por favor, certifique-se que a escolha das palavras chave e as estratégias de otimização não façam com que sua mensagem chegue ao usuário de forma confusa, desfocada ou difícil de compreender. Não faça com que pessoas que não tenham interesse no que você tem para oferecer acreditem que sua empresa as esteja fazendo perder tempo – elas ficam contrariadas e tendem a demonstrar essa contrariedade ao maior número possível de pessoas.
Continue lendo »

dicas

Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte dessas 40 maravilhosas dicas é a Revista “Aprenda Criar Sites” Ano III Nº12. Para quem já conhece, vale a pena ler de novo, para os que não conhecem, leiam!

1. Menos é mais:

essa máxima há muito tempo usada para a arte gráfica e o design também é válida para a Web. Ao planejar seu site, pense de forma simples. Páginas de Web rebuscadas e cheias de movimento já deram o que tinham que dar, mostrar ícones se mexendo e animações complexas não vão levar a nada, no máximo à perda de foco para o que realmente deve ser destacado em seu site.

2. Informações a dois cliques:

planeje seu site de tal forma que toda e qualquer informação deve ficar a dois ou no máximo três diques da Home (página inicia!) de seu site. A idéia é facilitar ao máximo o acesso do internauta às informações.

3. Cuidado com as animações:

com o surgimento de programas gráficos de animação como o Flash, o uso de animações se tornou indiscriminado. Os criadores de páginas na Web seguiam a linha de quanto mais animações, melhor. Hoje basta você pensar no que de fato é necessário para seu site. Use, sim, o advento da animação, mas dose e pondere com a real necessidade da utilização desse artifício.

4. Cores similares sobrepostas:

cuidado ao usar cores similares, principalmente quando elas precisam ser sobrepostas, como um logo laranja sobre um fundo amarelo, por exemplo. Por mais que em seu monitor esteja tudo claro, lembre-se de que há inúmeras variações de brilho e contraste de monitor para monitor e que aquilo que está claro para você pode surgir como uma grande imagem chapada a quem estiver acessando seu site.

5. Logomarca à esquerda:

esse já é um padrão na Internet mundial e que vale a pena ser levado em conta. Sempre que possível, use a logomarca da empresa no canto esquerdo superior do site. Esse local facilita a visão da logomarca, além de ser um dos principais pontos de atenção que as pessoas têm ao acessar um site.

6. Dê uma prévia do assunto a ser tratado:

quando se tem muito conteúdo no site, é interessante fazer um pequeno resumo na Home do que será tratado em determinada seção. Você pode fazer links em forma de manchetes, com um título da seção e uma pequena parte do texto que será tratado nela, É mais ou menos o que é feito hoje nos grandes portais da Internet.

7. Animações de abertura:

animações na abertura do site foram tendência durante um bom tempo, mas aqui também se encaixa a pergunta da real necessidade desta animação. Ela agregará informações substanciais ao conteúdo do site? Ou está lá só para “fazer uma gracinha”? Se a resposta for a segunda opção, por que não tirar essa animação e proporcionar um acesso mais rápido ao site? Mas não encare isso como uma regra, e sim como uma dica prática.

8. Caso a animação inicial se faça necessária:

só use uma animação de abertura, ou algo assim, se for de suma importância e precise ser feito. Nunca, mas nunca, deixe de incluir a opção de pular a abertura do site e ir direto ao conteúdo.

9. Contatos sempre à vista:

muita gente se esquece de uma das utilidades mais básicas de um site: gerar contato do internauta com a empresa ou pessoa dona do site. Mas como esse contato acontecerá sem que a pessoa que visita o site tenha acesso fácil a informações como e-mail da empresa, telefone e endereço? Por isso. não pense duas vezes e espalhe e deixe bem visível essas informações por todo o site.

10. Formulário de contato:

e se o contato é tão importante, incentive esse processo incluindo um formulário de contato prático e simples ao site, isso será sempre positivo.

Continue lendo »

Tags: , , ,

Anos atrás, mais precisamente em 2000, criei um site com tudo que um site não deve ter: imagens sem contexto, muitas animações, divisores de textos coloridos, cores desarmônicas, imagem de fundo que confunde a leitura,
navegação difícil, links errados e conteúdo vazio.

Este site foi criado com o objetivo de demonstrar para os meus funcionários, na época em que era diretor de uma empresa de soluções Internet, o resultado de um conjunto de erros aplicados no layout e navegação de um site.

Sempre guardei essa coisa horrenda no meu HD e agora resolvi mostrar para todos os meus assinantes este site-exemplo. Quero que todos se sintam como usuários e vejam o quanto o conteúdo, navegação, harmonia de cores e equilíbrio de imagens contam no sucesso de um site.

Clique aqui e veja a home-page do Zé. )

1. Menu. O menu do site-exemplo mostra uma total desarmonia de cores. Foi colocado no frame esquerdo um fundo verde brilhante que ofusca a vista, atrapalhando a leitura e toda a visualização do site. A fonte em vermelho é antiquada, grosseira e com serrilhado. Clicando no menu, percebemos que os links foram colocados de forma errada.

2.Fundo e Texto. Fundos com duas cores contrastantes, como o xadrez que utilizei no exemplo, dificultam a leitura. Só marcando o texto com o cursor do mouse é possível ler o texto do site.

3. Divisor de texto. Evite esses divisores com figurinhas, coloridas, animados. Além de ser cafona e parecer amador, o divisor pode se destacar mais que o conteúdo do site.

4. Animações. Evite o excesso de gifs animadas ou animações flash sem conteudo prático. No site-exemplo, ficou exagerado a animação da plaquinha de construção. Ofuscou todo o texto.

5. Conteúdo. Só coloque uma página na Internet se ela tiver um conteúdo prático para o seu público. No site-exemplo não temos nenhum conteúdo interessante, não auxiliando ninguém.

Vimos que, atrás de um site inútil, sempre tem algo útil para se aprender. )

Divirtam-se.

Para o alto e avante!!!

por Bruno Ávila

 

Setas

Neste artigo, vamos ver algumas dicas de como tornar o conteúdo de um website mais interessante, dinâmico e principalmente de manutenção barata. O objetivo é mostrar algumas técnicas e principalmente propor soluções simples e rápidas.

Poucas são as situações que tornam a experiência do usuário de internet tão frustrante do que descobrir que aquele site visitado a algum tempo ainda permanece com o mesmo conteúdo.
Do que adianta incluir as mais avançadas técnicas de desenvolvimento como: Web Standards, AJAX, Tableless, Usabilidade, etc… Se este item básico não for levado em consideração.

Mesmo o projeto mais simples pode se valer de algumas técnicas e artifícios para transmitir a sensação ao usuário de que existe algum tipo de atualização e não este não está morto ou abandonado.

Nem todas as empresas contam com um departamento exclusivo de internet para atualizar o conteúdo do seu website, mesmo a terceirização desse serviço pode estar além do orçamento destinado ao projeto.

Nesta situação, o projeto corre sérios riscos de perder grande parte de seu tráfego devido a falta de atualização de seu conteúdo. Certamente, o ideal é que qualquer site tenha seu conteúdo atualizado pelo menos uma vez por semana, mas, mesmo que isso não ocorra, podemos utilizar algumas técnicas e dicas para que em algumas situações o usuário tenha a sensação de novo conteúdo, ou mesmo automatizar ao máximo o processo de inserção de novos elementos visuais.

Continue lendo »


Seja Bem-Vindo!

@andrehsantana

outubro 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

RSS Feeds Deliciosos

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Blog Stats

  • 240,327 hits